Paper Man

Conceptual Art of a character that I’m working on, made on Photoshop - Marcus Vinícius Zangirolami

Conceptual Art of a character that I’m working on, made on Photoshop - Marcus Vinícius Zangirolami

"Enchanted Prince" - made by me, Marcus Vinícius Zangirolami

"Enchanted Prince" - made by me, Marcus Vinícius Zangirolami

"Enchanted Prince" - made by me, Marcus Vinícius Zangirolami

"Enchanted Prince" - made by me, Marcus Vinícius Zangirolami

"Dream" - Made by me, Marcus Vinícius Zangirolami, on A3 canson paper with B, 2B, HB and 6B pencils

"Dream" - Made by me, Marcus Vinícius Zangirolami, on A3 canson paper with B, 2B, HB and 6B pencils

Here’s a little something that I made to put on my bedroom, there should be System of a Down, Megadeth, and lots of aewsome bands, but for now, this is what’s done

Here’s a little something that I made to put on my bedroom, there should be System of a Down, Megadeth, and lots of aewsome bands, but for now, this is what’s done

Alex from A Clockwork Orange, made by me - Marcus Vinícius Zangirolami

Alex from A Clockwork Orange, made by me - Marcus Vinícius Zangirolami

Estava a observar os cartazes dos candidatos a vereadores e prefeito de minha cidade, e me dei conta de que não fazia idéia do que era aquilo.

Quem diabos eram aquelas pessoas? Todos sorriem, é isso que eles são, sorrisos, e números, números que não sei o que significam, talvez não signifiquem nada.

Nunca vi nenhuma daquelas pessoas, para falar a verdade vi um deles uma vez, num carrão novinho em folha passando em alta velocidade na hora da saída de meu colégio e passando no sinal vermelho.

E todos esses lemas, metas e objetivos falsos que eles dizem que vão cumprir?

Vocês acabarão com minha dor? Com a dor de todo mundo? Melhorarão esse lixo infernal que se tornou nosso mundo?

Então por que eu continuo sofrendo?

Por que o mundo continua decaindo?

Onde está o progresso?

Vocês não são nada além de sorrisos para mim. Sorrisos que se comprometem em ajudar o mundo, mas só sabem ajudar a si mesmos.

E pensar que as ovelhas gostam dos sorrisos, ou desgostam, mas continuam apoiando e aceitando a posição deles, a culpa é de vocês também.

Não aceito reclamações da vida ou da situação vindas das pessoas que são culpadas por isso.

E no fim, todos somos culpados: ovelhas, sorrisos, todos são culpados pela perpetuação da miséria e da desgraça.

Assim pode ser descrita a sociedade: a própria desgraça humana. Uma desgraça sorridente e cheia de números.

Chuva

Era só mais um dia nublado como tantos outros, um desses em que o céu parece estar triste. A luz mal conseguia passar pelas espessas nuvens, que davam a impressão de estarem esperando para começar seu pranto comunal.

O local em questão era só mais uma dessas cidades entre tantas outras. E dentro dessa trivial cidade, havia um hospital entre tantos outros.

E nesse hospital, entre tantos outros pacientes, havia um em questão que se encontrava em uma cadeira de rodas. Um caso promissor na verdade, os médicos disseram que em dois meses suas pernas estariam perfeitas novamente, prontas para dirigir, correr, sair pela noite afora.

Nesse momento um homem entra no corredor e identifica o outro na cadeira de rodas. Logo ele começa a se dirigir ao mesmo em passos rápidos.

Mas quem olhava no rosto desse jovem que caminhava ligeiramente levava um choque maior do que ao olhar para pacientes mutilados após um acidente violento.

Seu rosto era a pura mescla da Dor e do Ódio.

Ao alcançar o rapaz na cadeira de rodas ele o agarra pela gola de sua camisa com apenas uma mão, olha-o bem fundo nos olhos, aqueles olhos que nem mesmo pareciam humanos, solta um grito gutural e arremessa o indivíduo ao chão.

            Nesse momento o homem começou chutar e socar o rapaz que estava jogado no piso do hospital. E enquanto fazia isso gritava:

            -DESGRAÇADO! SEU MALDITO! MALDITO! MALDITO! VOCÊ MERECE A MORTE! MORRA! MORRA! MORRA!

            Uma multidão começou a se formar ao redor, mas ninguém fazia nada. Todos sabiam o que havia acontecido, e na verdade, eles tinham medo de todo aquele ódio atingi-los caso eles tentassem amenizar a situação. Nem mesmo os seguranças faziam algo além de olhar.

            E o agressor gritava:

            -O INFERNO É POUCO PARA VOCÊ, SEU INCONSCEQUENTE MALDITO! VOCÊ NÃO PENSA? RESPONDA-ME DESGRAÇADO! - e a vítima nem mesmo tentava resistir, ela só chorava e apanhava.

            O homem parou de bater no outro e começou a dizer enquanto segurava-o pela sua camisa:

            -Essa dor que você está sentindo agora não é nada comparado ao sofrimento que eu estou passando. NADA! Ela era minha razão pra continuar em frente nesse mundo de merda CHEIO DE FILHAS DA PUTA COMO VOCÊ! E AGORA VOCÊ TIROU ELA DE MIM! VOCÊ A TIROU DE MIM! TUDO PRA ALIMENTAR SEU EGO MALDITO E FAZER VOCÊ PARECER O MELHOR DO MUNDO PARA ALGUMAS VADIAS! VOCÊ ESTÁ SATISFEITO? VOCÊ ENXERGA SUA GRANDIOSIDADE AGORA?

            Nesse momento um amigo do homem que gritava abriu caminho pela multidão e chegou até onde ele estava falando:

            -Vamos sair daqui cara, eu sei o quanto isso está sendo difícil, mas se você continuar vai ser preso.

            E então os dois começaram a se levantar. O agressor começou a chorar e entre soluços disse:

            -A pior parte de tudo isso é saber que não importa o quanto esse desgraçado sofra, ela não vai voltar… E a culpa é minha cara, nós tínhamos discutido e ela foi embora porque estava irritada comigo.

            -A culpa não foi sua, - argumentou o amigo - discussões acontecem. A culpa foi desse moleque que estava dirigindo bêbado e acertou o carro dela. Já falei para você parar com isso.

            -Mas se eu não culpar ninguém, o que eu vou fazer com a minha dor? – e nesse momento o choro do jovem aumentou ainda mais – Eu só a quero de volta… Só quero poder olhar em seus olhos e dizer que a amo, abraça-la quando estiver triste e rir quando estiver feliz. Eu quero pedir desculpas por todas as vezes em que eu a magoei, mesmo que sem querer. Quero cumprir a promessa que eu fiz de levá-la até as pirâmides do Egito e todos os outros lugares que ela queria conhecer… Eu não consigo agüentar a solidão de novo…

            Os dois saíram do recinto, enquanto outras pessoas ajudavam o homem agredido a voltar para sua cadeira de rodas.

            O rapaz que perdeu sua noiva no acidente foi embora com uma sensação de vazio, ele percebeu o quão inútil havia sido sua atitude. Afinal, o que é a justiça, senão uma vingança que é considerada benéfica?  E que é a vingança, senão uma forma de lidarmos com nosso sofrimento quando não sabemos o que fazer com ele? Culpar alguém e achar que, se essa pessoa também sofrer, a situação vai melhorar. Nada irá mudar. Ele era novamente só mais uma alma nesse mundo. Vagando, pois a única pessoa para quem ele era importante se fora.

            Ninguém percebeu, mas o céu começou a chorar.

Hoje eu me dei conta do que é essa nossa geração atual, alienada totalmente a vida, domesticada, obediente…

A geração de nossos pais e avós foi uma geração que lutou pelos direitos, lutou contra a guerra, lutou pela paz, a geração hippie, e todo o resto…

É claro que quando me refiro à esses revolucionários, sei que me refiro a uma parcela não tão grande da população, o resto só ficou parado olhando e esperando que lutassem por eles, e quando tudo acabou eles comemoraram e disseram “NÓS CONSEGUIMOS, VENCEMOS A LUTA”, a essas pessoas eu gostaria de fazer um convite para que queimem no inferno.

Enfim, essa geração revolucionou o mundo de uma maneira político-cultural muito intensa, porém, quando eles “venceram”, quando a poeira baixou e a Nova Ordem Mundial se elevou, o mundo de estabilizou, e logo a sociedade continuou sua decadência… no fim, de nada valeram as revoluções, os acordos de paz, o mundo continuou decaindo, mas disfarçadamente, assim as pessoas não enxergaram o rumo que a história estava tomando e logo se tornaram obedientes ovelhas, como todo o resto.

No fundo todos sabem que foi tudo em vão, todos os sonhos e esperanças para um futuro brilhante foram destruídos e jogados no abismo.

Isso é a nossa geração:

Somos os sonhos perdidos de nossos pais e avós.

Somos a geração dos objetivos de vinda pré-definidos, a geração que se atulha de tecnologia e bens materiais ao máximo para tentar escapar da terrível solidão em que se encontram nossos sonhos mais bobos e infantis.

Sempre tentando encontrar algum tipo de razão em meio a todo esse caos sem sentido que é a nossa existência… sempre procurando ponto de chegada que não existe, nunca dando valor à corrida…

Temos a chance de mudar o mundo, mas preferimos assistir ao próximo episódio de nosso programa favorito, damos um jeito no resto depois, não é mesmo?

Essa é a nossa geração.

Made by me - Marcus Vinícius Zangirolami, using pen

Made by me - Marcus Vinícius Zangirolami, using pen

Mais uma coisa que encontrei perdida por ai

Mais uma coisa que encontrei perdida por ai